Menopausa Precoce

A menopausa é o nome dado a última menstruação da mulher, marcando o fim de sua vida fértil. Normalmente acontece entre 45 e 55 anos de idade, sendo 51 anos a média de idade para a mulher brasileira. No entanto, dependendo da situação do organismo, esse acontecimento natural pode chegar mais cedo para algumas pessoas.

Mulher contando o tempo

Menopausa precoce é o nome usado quando a mulher, antes dos 40 anos, começa a ter falhas na menstruação no período de um ano. O envelhecimento precoce dos óvulos atinge pelo menos 1% das mulheres e pode ocorrer tanto por causas naturais quanto por consequências de hábitos não saudáveis.

Quais são as Causas da Menopausa Precoce?

Se o histórico familiar da mulher apresentar menopausa precoce, significa que é uma questão de genética, mesmo que não haja um motivo evidente para o acontecimento. Uma das causas naturais é a Insuficiência Ovariana Primária (IOP), que ocorre quando os ovários não produzem o nível de estrogênio necessário, não liberando os óvulos. Mulheres que possuem esse problema normalmente encontram dificuldade para engravidar. Entretanto, outros fatores podem influenciar o fim da vida reprodutiva feminina.

Mulher com pele mais velha

Segundo pesquisas, o tabagismo e baixo peso ponderal são os principais responsáveis pelo encerramento do ciclo ovulatório. Além disso, mulheres que passaram por cirurgias no ovário e por processos de quimioterapia e radioterapia, ou usaram alguns medicamentos para acne podem ser afetadas. Doenças infecciosas como a caxumba, por exemplo, também podem ser a causa, embora que muito raramente.

Quais são os Sintomas da Menopausa Precoce?

Mulher com dor de cabeça por conta da menopausa precoce

Os sintomas da menopausa precoce são praticamente os mesmos da pré-menopausa comum, ou seja, mulheres com idade inferior a 45 anos podem estar entrando no processo de climatério se apresentarem os seguintes sinais:

  • Menstruação irregular;
  • Ondas de calor (Fogachos);
  • Queda de cabelo;
  • Pele seca;
  • Mudanças de humor;
  • Diminuição da libido;
  • Secura vaginal;
  • Indisposição constante;
  • Suor noturno;
  • Ganho de peso;
  • Dor de cabeça;
  • Pelos faciais;
  • Infecções urinárias.

Quais são os Riscos da Menopausa Precoce?

Umas das consequências mais desapontadoras da menopausa precoce é a questão da fertilidade. Como a menopausa marca o último ciclo ovulatório feminino, a mulher que pretender ter filhos, mas que sofrer com esse fenômeno prematuramente terá dificuldade para engravidar e o risco de aborto pode aumentar durante o climatério.

O baixo nível na produção do estrogênio, hormônio que protege os ossos e o coração, aumenta consideravelmente o risco da mulher desenvolver doenças cardiovasculares e osteoporose. Além disso, doenças psicológicas podem surgir uma vez que a instabilidade emocional começar em um período mais cedo na vida da mulher. Depressão e ansiedade são dois exemplos dessas doenças e, por isso, é preciso ressaltar a urgência da identificação da menopausa precoce.

Como Identificar a Menopausa Precoce?

A mulher tende a não perceber a menopausa precoce quando não há sintomas evidentes, como os citados anteriormente, porque acredita que é muito nova para parar de menstruar. O uso de contraceptivos como o anticoncepcional pode também mascarar o problema. Nesses casos, se houver dificuldade para engravidar ou falha na menstruação por pelo menos 4 meses, é preciso que uma consulta com um ginecologista seja feita imediatamente para identificar o problema. Outra forma de ficar atenta com o possível surgimento do problema é observar o histórico das mulheres da família, porque se houver casos de menopausa precoce com parentes, as chances de acontecer o mesmo são grandes.

O diagnóstico é feito pelo ginecologista, que irá realizar exames de sangue para avaliar a dosagem de hormônios FSH, que são responsáveis pela fertilidade, para observar se os ovários estão funcionando corretamente.

Como é feito o Tratamento?

A reposição hormonal é a melhor forma de tratar a deficiência dos hormônios que são importantes para o organismo da mulher. Com o acompanhamento de um médico, a reposição de estrogênio e progesterona podem ser feitas via oral ou por gel.

Se a menopausa precoce for identificada quando ainda há óvulos, a mulher que pretende ter filhos ainda pode engravidar com a ajuda de medicamentos, porém as chances são mais baixas.

Alimentação na menopausa precoce

Parece óbvio, mas algumas pessoas não sabem que a alimentação também está totalmente ligada ao tratamento da menopausa precoce. Com o acompanhamento de um nutricionista, o ideal é ter uma alimentação balanceada, com a redução de produtos industrializados e mais consumo de alimentos naturais como frutas, legumes e verduras. Além disso, é importante não pular refeições, e sempre ter vitaminas D e E na dieta, pois as mesmas ajudam no fortalecimento dos ossos e na produção de colágeno, fatores que são afetados na menopausa.

Exercícios físicos na menopausa precoce

Atividades físicas podem ser de grande ajuda para mulheres que estão passando pela fase do climatério, pois uma das consequências desse período é o ganho de peso. A prática de exercícios físicos, além de fazer bem para o organismo, ajuda a controlar o peso e fortalecer o corpo.

Fontes: 

https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S0102-311X2003000100003&script=sci_arttext&tlng=en

https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/89386/2/170929.pdf